terça-feira, 10 de novembro de 2009

2ºcapítulo- Koda em: O Retorno

Naquele dia que o Koda se foi, Ellen arrumou uma gatinha para alegrar o Alex que escolheu o nome de Mia para ela. Uma graça! Fui já comprar as coisas no pet shop e fazíamos bolinhas de papel pra vê-la brincar, distrair-nos um pouco. Linda de viver! Pretinha com uma manchinha embaixo da boca e bigodes brancos.
No dia seguinte, Alex vinha com Mia no carro para passar o dia na imobiliária, assim que chegou, quando ia fechar o portão... Percebeu um ruivinho de língua pra fora descendo a ladeira.
Lá vinha Koda correndo! Entrou junto direto para a imobiliária fazendo festinhas e já querendo beijar a Mia afobado. Não sabia pra que lado ia, tamanha euforia.
Fugiu do seu verdadeiro dono de novo! Cheguei e recebi a mesma festa maluca e desesperada em mim. Estava faminto. Apreensivos Alex e eu cuidamos dele, demos carinho, mas, já tentando não mimar mais, pois já sabíamos seu endereço e que ele iria embora outra vez. Ao ver a Ellen já correu com o cobertor e a garrafa pet, brincadeira que mais gostava.
Ela,Izana e Daisy ficaram muito felizes aceitando sua volta e as brincadeiras dele. Enquanto falávamos do retorno, ele pegou a bolinha para recebê-la no meio do quintal e trazê-la de volta trancando a boca, provocando. Brincou com Mia que logo se acostumou com o gigante carinhoso.Toda arrepiada,mas,o aceitou. Nossos dias foram novamente atormentados pelo filhote. À tarde o Alex o colocava no carro e o levava de volta a seu dono.
Pela manhã lá vinha Koda descendo a ladeira correndo para sua outra casa. Não era nosso, nem do dono. Koda não era de ninguém, ao mesmo tempo em que era de todos. Filho do mundo!

Nos dias que se seguiram aos poucos ele foi destruindo o que decidia, qualquer novidade, a mínima que fosse, uma simples caneta, pulava nas nossas mãos, pegava e corria, depois todas do porta canetas, papéis, fios...Um terror!
Quando cansado subia na mesa e dormia. Ficávamos com pena de acordá-lo; bem, na verdade eram poucos minutos de sossego. Um anjo dormindo. O que será que sonhava? Talvez com a gente, com Mia, sua outra casa...Nunca saberemos. Acredito que os animais nos escolhem e Koda talvez tenha escolhido a família errada e deu um jeitinho de ser aceito por nós. Nunca havíamos pensado em uma Mascote. O dono verdadeiro talvez quisesse um cão de guarda preso, protetor da casa, bravo...Koda era Malandro. Fujão!
Quando o Alex o levava de volta ao dono, dávamos um jeito na bagunça que ficava.
Pela manhã entrava todo alegre e às vêzes sentava-se como um corretor de imóveis para nos observar e saber em quem iria pular chamando pra brincar.
Lucas filho do Alex e Izana adorava brincar com ele, pulava desengonçado, pois crescia a cada dia. Eu o comparava aquelas crianças que eram novinhas e enormes na altura e ficavam por último na fila da escola, sempre mais cobrados e incompreendidos. Lucas tão pequeno e Koda tão grande, eram crianças. A vida só os queria brincando e se divertindo. Para nós um alívio! Enquanto brincavam lá fora atendíamos nossos clientes e esse tempo era aproveitado para engordarmos nossa agenda.
Penso nos cachorros com tanto carinho, seres dependentes que só querem alguém para alimentá-los e em troca dão fidelidade, amor incondicional, nos amam mesmo depois que brigamos e damos castigo para educá-los. Companheiros da solidão de tantas pessoas, amigos de verdade! Sempre nos dão uma bela recepção quando chegamos em casa com qualquer tipo humor. São como crianças e tem a mesma necessidade de atenção e amor. Sentem solidão também como a gente e as vêzes fazem de um osso sua companhia quando não tem ninguém para brincar.
Koda não tinha medo de garrafas batidas ao chão para que parasse, esguichinhos de água no focinho, nem Dr Pet daria jeito! Ríamos da nossa incompetência na sua educação.

Um dia Koda não apareceu pela manhã. Acreditamos que o dono devia ter comprado uma coleira com guia e o prendido em algum lugar.
Senti um desconforto estranho e Alex também. Devia ser a falta daquele malandro pulando em tudo, agarrando nossos sapatos, puxando as roupas, subindo na mesa, sentando na cadeira e olhando o que fazíamos como a imitar nossos gestos, chegava a olhar virando a cabeça como que a entender o que fazíamos ou a pensar qual seria a próxima arte.
Izana e eu estávamos nos preparávamos para sair, quando ouvimos uma agitação lá fora. Pessoas alteradas da rua foram parando e chamando por nós. Gelei! Alex saiu primeiro. Izana e eu depois. Koda foi atropelado.
Alex no meio do asfalto sentado na rua com o cão. Juntou um monte de gente.

Quando cheguei até ele com as pernas bambas o vi em choque. Havia sangue na boca e nas patas. Koda não se mexia. Os olhos parados no vazio. Todo mundo falando ao mesmo tempo. Olhei para o Alex; seus lábios perderam a cor. Não levantava do chão, não saia do lado do cãozinho igualmente em choque. Literalmente ele não sabia o que fazer!
Em segundos passou um filme em minha cabeça e a dor do Alex fazia com esquecesse da minha. O sofrimento estampado em seu rosto fazendo carinhos no cachorro ,ficaram gravados, podia ler seus pensamentos pedindo que Koda não o deixasse.
Longos segundos onde a vida frágil se deitava no asfalto cenário de suas fugas tão alegres.
Carros foram parando. Cheguei mais perto e me abaixei , vi que os dentes do Koda estavam quebrados, a pata machucada e disse:
-"Fique calmo Alex, ele não vai morrer! Só bateu a boca e se protegeu com a pata, ele não vai morrer! "
Senti um alívio, quando constatei que não era tão grave, a não ser que tivesse machucado por dentro. A Ellen voltava de uma visita com o cliente e vendo o tumulto, parou abriu a porta e conseguiu que colocassem o cão no banco com Alex . Saiu correndo para o veterinário.
Eu e Izana saímos para o compromisso chorando, na volta já passei na farmácia e comprei arnica. Foi tratado, e medicado ,nada tão grave, apenas alguns cuidados e ficaria bom.
Aliviados ao ver o sorriso do Alex voltamos ao trabalho comentando que o dono agora havia perdido o cão. Não o devolveriamos mesmo!
Nessa noite, mimado Koda foi dormir no apto deles . Mia o cheirava arrepiada, mesmo machucado brincou com ela, renascido,bebeu água e comeu.
No dia seguinte Koda já estava de volta na imobiliária, banguela dos dentes da frente e comendo naturalmente como se o acidente não tivesse sido com ele.
Com testemunhas a nosso favor, o "dono" não poderia mais reclamá-lo, todos os vizinhos acharam por bem que ele ficasse conosco. Aqueles momentos dolorosos de todos nós foram apagados com o portão fechado. Dali para dentro garrafas pets eram roladas pra lá e pra cá, fazendo um barulho enorme...
As lambidas barulhentas na vasilha dágua... E nossos bolsos vazios agora eram cheios de ração. Quando o telefone tocava, ele ganhava uma, duas três...Pra ficar quieto e nos deixar trabalhar. Comecei a tentar educá-lo ensinando a sentar e deitar. Ganhava o prêmio e ficava esperando mais, ainda mastigando.
Koda cresceu mas ainda e ama a todos nós. Aprendeu a abrir o portão e esqueceu do acidente, pois, ganha a rua quando uma pequena SRD aparece e joga um charme que ele não aguenta.

(Aguardem o terceiro e último capítulo. Koda e sua namorada.)

Elaine Barnes 10/11/09 Texto sujeito a correção

21 comentários:

  1. Essasa histórias são lindas e mostram o quanto esses bichinhos parecem escolher os donos e quem goaste deles de verdade.Um amor!beijos e vou esperar o namoro dele,rsrs...chica

    ResponderExcluir
  2. Elaine,

    Continuo me emocionando com essa história linda.
    Aguardo ansiosa a continuaçao.

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  3. Minha querida amiga Elaine.
    Permita-me que trate assim, como amiga. A partir do momento em que estou em contacto com alguém, mesmo que seja virtual, eu os considero amigos. Se um dia nos encontrarmos, melhor ainda. Se não, tudo bem na mesma. A amizade existe desde que haja respeito pelo outro.
    Sem mais palavras eu tenho um labrador preto que é o meu melho amigo, de nome tobias. Aliás no meu blog:

    fotografiasquerimam.blogspot.com

    Tenho duas fotos dele. Quando tinha 3 meses e depois mais velho. Não sei se já os viste. Se não, visita este meu espaço e verás a estampa de animal.
    Um beijo minha boa amiga
    Victor Gil

    ResponderExcluir
  4. Olá Elaine. Esse Koda é de vocês. Pode ter certeza que ele quer ficar com vocês e não com a pessoa que se diz ser dono dele.
    Que bom que ele está bem. melhoras para o nosso amiguinho. Fiz um post de selinhos. Tem dois selinhos para você no meu cantinho.
    Um grande abraço.
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  5. Querida Elaine, li o cap 1 e 2. Pelo amor de Deus não devolva mais o Koda! Quem não cuida de um animalzinho não tem direito sobre ele. Isso, de encontrar um cãonzinho na rua e fazê-lo seu, amiga...foi a coisa mais gratificante que me aconteceu. Sinto teu amor pelo Koda, lute por ele. Cães são amigos eternos, sempre quando precisares, eles estarão ao teu lado, e num sofrimento silencioso. Ele sempre será grato pelo que fizeres.

    Meu carinho a ti e ao Koda!
    tais luso

    ResponderExcluir
  6. Tudo o que é tratado com carinho, não sai mais de perto da gente.

    Meu irmão, encontrou uma cachorra toda machucada, cuidou, deu comida, levou no veterinário, e ela nunca mais saiu de lá.
    Já faz parte da vida deles.

    FICO MUITO FELIZ COM A SUA AMIZADE.
    AGRADEÇO A SUA VISITA E DEIXEI UM LINDO SELINHO PARA VC. DE UM CONFERIDA NESTE ENDEREÇO.
    http://sandraandrade7.blogspot.com/

    É COM MUITO CARINHO QUE SEMPRE RECEBO VC. EM MEUS BLOGS.
    UM ABRAÇO, BEM CARINHOSO.
    SANDRA

    ResponderExcluir
  7. Olá Elaine,vim te parabenizar por ser vovó.
    Não sou nem mãe, mas ser avó deve ser uma experiência maravilhosa. Parabéns por essa nova pessoinha na vida de vocês.
    Um grande abraço.
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  8. Oi Elaine!
    Que delícia foi receber sua visita na minha casa!
    Adorei!
    Obrigada pelo carinho, tá?
    Um ótimo fim de semana!
    BjOs da Re.

    ResponderExcluir
  9. Bom dia Elaine.
    Obrigada pela sua visita ao meu cantinho, amiga de Majoli minha amiga é, aliás cheguei aqui e amei sua história sobre o Koda, logo você e seu Alex só podem ser maravilhosos.
    Quem ama animais assim, e netos,+ filhos, só podem ser maravilhosos.

    Vou voltar para ouvir a história da namorada, cá em casa neste momento só tenho uma labradora que já fez 12 anos, mas continua uma brincalhona com meus netos, meu filho tem 5 labradores 1 macho e 4 femeas,preto, douradas e cor chocolate, são lindos, e muito bricalhões são como ter imensas crianças...hahahah.

    :))Beijjjjjjjjjjjjjjjj

    ResponderExcluir
  10. oi Elaine..que historia linda ! fico muito emcionada ao ler sobre nossos amigos cães. Koda é muito especial.esses anjos de quatro patas faz com que a nossa vida vire de ponta cabeça.. mas é bom demais..beijão querida

    ResponderExcluir
  11. Ei Elaine!

    O blog "O que elas estão lendo!?" está sorteando livros da Eliana Barbosa, uma das referência em literatura motivacional no Brasil e no exterior.

    Como você é seguidora, viemos aqui lembrar você de dar um pulinho por lá!

    Para participar é fácil! Deixei um recado dizendo: eu quero participar!

    O resultado sai amanhã, dia 25/11.

    Beijos

    Equipe do blog "O que elas estão lendo!?"

    ResponderExcluir
  12. Bom dia :)
    Que sua semana seja repleta de coisas boas
    beijossss

    ResponderExcluir
  13. Olá Elaine. Estava com saudades de visitar seus blogs, estava meio sem tempo até para postar no meu blog. Estou aguardando a continuação dessa história. Tenho uns selinhos pra você no meu blog. Quando puder, dê uma passadinha e leve os que quiser.
    Um grande abraço.
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  14. Oiee lindona tem mas um selinho no meu blog pra vc!!!beiijinhus

    ResponderExcluir
  15. Todos fazemos escolhas...até os animais sabem fazer as suas...paz.

    ResponderExcluir
  16. Que linda história!
    Parabéns por tanto amor e dedicação!
    Obrigada tbm pelo comentário que me deixou.
    Bjo na alma!

    ResponderExcluir
  17. Que seu Natal seja repleto das bençãos de Deus.
    beijos

    ResponderExcluir
  18. Elaine, mas o Koda é uma graça mesmo, só de rever a foto voltando aqui abri um sorriso enorme! rs..

    Então vc tbm foi sorteada! Parabéns! É muito gostoso, né?

    Bjo, querida, e namastê!

    ResponderExcluir
  19. Um dia especial, com amigos, família e muito amor no coração.
    Lisette feijo

    ResponderExcluir
  20. Querida! Venho lhe desejar adiantado um excelente Ano Novo, pois continuarei de recesso até dia primeiro. Tudo de bom, minha querida! Muita luz e muita paz! Bjos na alma e feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir